Dicas para cuidar bem do motor e da partida do Fiat Linea

Após muitas espera, a Fiat há pouco tempo lançou o Linea, um sedã que é baseado no hatchback Punto e tem um estilo bastante diferenciado, proporcionando conforto e segurança para seus ocupantes. Suas duas opções de motorização eram até então inéditados no Brasil. Uma delas oferece um motor flex de 1.9 litros, com 132 cavalos de potência com um bloco especialmente desenvolvido para ele e um novo sistema de partida a frio, que oferece injetor dedicado localizado no coletor de admissão e injeta a quantidade exata de combustível, proporcionando economia.

Sua velocidade máxima é de 190 quilômetros por hora. Porém, como qualquer automóvel, pode apresentar alguns problemas com seu motor que acabam por prejudicar o desempenho e rendimento. Uma situação que acontece bastante é o Linea apresentar dificuldade de pegar pela manhã quando tem uma porcentagem maior de álcool do que gasolina no seu tanque de combustível. Porém, após conseguir funcionar, o Linea não apresentava mais problemas. Para realizar reparos e diagnósticos, leve a um centro automotivo especializado.

Foram realizados todos os testes que se costuma fazer inicialmente: testes no sistema elétrico: foram testadas a bateria, o aterramento, o motor de arranque e os cabos de alimentação e nenhuma irregularidade foi encontrada. Como o problema somente acontecia quando o motor estava frio, ou seja, quando a central de injeção utilizava-se o sistema de partida a frio, então partimos logo para os testes no conjunto deste sistema. Todas as peças relacionadas com a partida a frio teve seu conjunto acionado manualmente pelo rastreador e todo o sistema funcionou perfeitamente.

Como já tínhamos eliminado qualquer possibilidade de problema no conjunto de peças que compõem a partida a frio, começamos a fazer os testes na unidade de comando, que é o sistema que aciona essa função do motor. Ao se fazer o rastreamento em modo continuo, notamos que a relação ar/combustível estava em valores ótimos para um carro a gasolina. Porém como a maior parte do combustível presente no tanque era álcool, aí poderia estar a raiz do problema.
fiat_linea
Daí solucionamos o problema adequando a relação ar-combustível para níveis especificados para automóveis a álcool. Foi dada a partida e o automóvel funcionou perfeitamente, sendo possível ver o sistema de partida a frio injetar a gasolina que fica no reservatório para que o automóvel Fiat Linea funcionasse.

Agora, explicaremos mais e melhor sobre a partida a frio: esse sistema somente é utilizado pela central em automóveis flex quando a quantidade de álcool é superior que a de gasolina. Isso porque nestas condições a partida do motor é mais difícil, já que o álcool precisa de uma temperatura superior ao da gasolina para fazer o motor pegar bem. Por esse motivo a unidade de comando injeta uma quantidade de gasolina para que o carro pegue sem problemas, pois a gasolina funciona melhor que o álcool a baixas temperaturas.

Como a unidade de comando do Fiat Linea tinha travado a relação ar/combustível em valores destinados a gasolina, a central entendia que havia uma maior parte de gasolina no tanque de combustível e dessa forma conseguiria dispensar o uso da partida a frio. Porém como o Fiat Linea estava abastecido com 90% de álcool o mesmo tinha dificuldade de pegar quando estava em baixas temperaturas.

Para solucionar esse reparo e outros em relação a todos os sistemas do seu automóvel, leve sempre a um centro automotivo especializado, com técnicos mecânicos treinados para resolver todas as situações e problemas, realizando diagnósticos e deixando seu automóvel noco como quando foi retirado da concessionária.

Publicado em dicas automotivas Marcado com: , ,